Editora JBC Made in Japan Hashitag Mangás JBC AkibaSpace BMA

‘Tá caro’

Toda profissão sofre com aquelas frases que irritam, pois revelam preconceitos, inverdades ou conhecimento equivocado por parte de quem as fala. Por exemplo, psicólogos e psiquiatras (“Não preciso. Não sou louco”), fotógrafos (“Câmera profissional é outra coisa!”) e as relacionadas às artes (“Bacana. Mas você trabalha com quê?”).

Na gastronomia, perguntei a alguns profissionais qual seria essa frase. A maioria respondeu “Tá caro” – no sentido de “não vale esse preço”. Quem reclama provavelmente não tem ideia dos custos envolvidos na preparação do prato, impostos e a manutenção administrativa e física do restaurante – para citar alguns itens. O preço deve refletir a qualidade dos ingredientes, o conforto físico e a eficiência do atendimento, o que inclui a experiência e o conhecimento da equipe.

“Tá caro” pode ser uma vã tentativa de pechincha. Lembro de uma amiga que, depois que abriu a própria empresa, parou de pechinchar. “Não gosto que pechinchem comigo, pois eu sei bem quais são meus custos e quanto vale meu tempo de trabalho”.

Claro, existe o “caro” que significa que o valor está fora do orçamento da pessoa. Nesses casos, é aplicação simples do capitalismo. Ou, como dizem, basta virar jornalista de gastronomia, que “come de graça em restaurante chique”.

henriqueminatogawa-ok
HENRIQUE MINATOGAWA

Instagram: @nikkofotografia
Mais posts de Henrique Minatogawa, clique aqui.