Made in Japan Restaurantes Japoneses Hashitag Henshin Mangás JBC AkibaSpace BMA

Restaurante Nami Izakaya

Nami Izakaya - ambiente
Detalhe do ambiente do Nami; no fundo, o Espaço Kids fotos: Rafael Salvador

Nami Izakaya - quadro
Quadros de artistas renomados fazem parte da decoração
Para quem entende um pouco do idioma japonês, é fácil reconhecer o Nami Izakaya, localizado em Santo André, cidade do ABC paulista. As paredes externas estão grafitadas com ondas (nami, em japonês) – é possível ver pelo Street View.

A inspiração para o nome poderia ser a famosa xilogravura “A Grande Onda de Kanagawa”, de Hokusai (1760-1849), que decora a porta de entrada do estabelecimento. Porém, a explicação é mais simples e original. “Meu pai disse que tinha de ser um nome curto e de mulher” – é o que conta o chef Jorge Tsu- chimoto.

As referências artísticas e culturais continuam no interior, com quadros de artistas como Manabu Mabe e Kazuo Wakabayashi. O pai do chef, Masumi, tem esculturas e quadros expostos no salão, enquanto a mãe, Regina, assina a cerâmica em que são servidos os pratos.

Bar japonês

Jorge Tsuchimoto
A casa é comandada pelo chef Jorge Tsuchimoto
A proposta do Nami é apresentar uma culinária diferente, típica de izakaya, o bar tradicional do Japão. “O pessoal vem aqui e diz:

‘Japonês come carne de porco? Não é só peixe cru?’. A ideia é mudar isso”, afirma o chef.

O conceito ainda é relativamente desconhecido no Brasil, mas gradualmente está se incorporando à imagem de restaurante japonês. Como exemplo, Jorge menciona o balcão, área nobre de um izakaya. “Antigamente, era o lugar em que ninguém queria sentar. Como minha cozinha é aberta, hoje, todo mundo quer. Às vezes, o pessoal espera para poder sentar no balcão”.

Os pratos típicos de izakaya estão listados na seção “Petiscos de Boteco” do cardápio. São pequenas porções, geralmente empanadas ou refogadas, adequadas para acompanhar bebi- das alcoólicas.

Alguns dos pratos mais pedidos são o Bo Ssan (aperitivo estilo coreano semelhante ao temaki), Satsuma Agê (massa de tilápia com cebola, alho e gengibre frito), Kare Korokke (croquete de curry) e tiradito de peixe branco com molho ponzu. Guioza e robata também fazem parte das opções.

Nas bebidas, além de diversas opções de saquê e cervejas, o destaque é o hoppy (drinque com cerveja, limão, gelo e shochu).

Acessibilidade

O Nami está preparado para receber clientes com limitação de movimento e cadeirantes. A entrada conta com uma rampa suavemente inclinada, vias de acesso largas e lavabo adaptado.

Outra característica notável é o Espaço Kids, com brinquedos, TV e tapete emborrachado. “Como eu tenho filhos, tive a ideia de ter esse espaço para as crianças ficarem à vontade. O cardápio tem batata frita, espaguete na manteiga e nuggets, mas as crianças comem muito sushi e sashimi também”, completa o chef.