Made in Japan Restaurantes Japoneses Hashitag Henshin Mangás JBC AkibaSpace BMA

Comendo no Festival do Japão

shimejibacon
Shimeji com bacon vendido na barraca da Associação da Província de Gifu Foto: Rafael Salvador

Domingo. Festival do Japão 2013 e, como de costume, a JBC compareceu em peso ao evento. Entre as muitas horas de programação e a correria da organização, a fome foi uma companheira constante. Felizmente, o festival estava mais do que bem equipado para abastecer e saciar até o mais faminto dos visitantes.

Um sem fim de estandes e barracas oferecia todos os tipos de alimentos. Desde os clássicos facilmente encontrados pelos restaurantes paulistas especializados em culinária japonesa até pratos exclusivos, que só aparecem por aqui uma vez por ano e deixam seus apreciadores com um gostinho de quero mais pelos próximos 12 meses.

Tudo muito bom, tudo muito bem. Mas é ai que a brincadeira começa: como fica o almoço do redator que não come peixe?! Pois é, me vi em um período de nove horas em um local onde toda alimentação era focada na culinária japonesa. Como um leigo no assunto, temi. Mas, respirei fundo e fui às barracas, em busca de algo que me agradasse.

De cara, meus medos caíram por terra. Entre as dezenas de possibilidades muitas consistiam em pratos de carne bovina e vegetais variados. O porco e o frango também estavam presentes em muitas barracas e não foi difícil encontrar muitos pratos que me agradassem e, ao mesmo tempo, passassem longe de peixes ou qualquer tipo de fruto do mar.

Acompanhe as novidades pelo Instagram da @hashitag.

Entre os pratos mais requisitados desta categoria, vale ressaltar o shimeji com bacon que, como o nome já diz, consiste em uma grande parcela de cogumelos shimeji temperados, enrolados em uma fatia de bacon e levados ao fogo. O delicioso prato é uma boa pedida e foi tão procurado que foi o primeiro a esgotar.

Mas nem só de bacon e cogumelos se faz uma refeição (infelizmente). Outras opções, mais saudáveis, e ainda assim bastante saborosas, também estavam ao alcance dos visitantes. Um dos pratos que me chamou atenção imediata foi o nikuman, basicamente uma esfirra fechada de carne de porco (assada no vapor). A carne bem temperada e misturada com alguns legumes, proporciona uma mistura bem legal, alimentando na medida certa e não deixando aquela sensação de peso que algumas refeições a base de porco podem causar.

Outra opção bastante interessante para quem não é fã de peixe é o gyoza. Assim como o nikuman, o prato também consiste em um combinado de carne temperada e legumes, mas é enrolado em uma massa fina, grelhada brevemente na chapa e assada no vapor. O resultado é muito saboroso, nutritivo e bem leve.

Aqueles que não estavam a fim de provar os pratos mais tradicionais da culinária também tinham opções mais “abrasileiradas” como os espetos de frango temperado, churrasco e diversos tipos de pastel.

Uma vez que as refeições principais já estavam cobertas, foi a hora de passar para os doces. As possibilidades eram diversas e iam desde amigos de longa data de todos os eventos como as frutas com chocolate, aos doces mais tradicionais. Destaque para o chidori manju, doce feito à base de feijão, que é muito saboroso.

Se você não é um grande conhecedor de culinária japonesa e ficou com medo de ir ao festival por não ser um fã de peixe e frutos do mar, não tema, as barracas têm diversas opções e com certeza você vai achar alguma que lhe agrade. 2013 já foi, mas não deixe a oportunidade passar novamente e se prepare para o Festival do Japão 2014. Eu te espero lá, na fila do shimeji com bacon.

Desvende o menu do 17º Festival do Japão