Made in Japan Restaurantes Japoneses Hashitag Henshin Mangás JBC AkibaSpace BMA

47 comidas para provar no Festival do Japão

Prepare-se para uma verdadeira viagem gastronômica no 16º Festival do Japão. São mais de 40 barracas de comidas típicas de cada província que compõem a praça de alimentação da maior festa da cultura japonesa na América Latina.

Todos os anos, cada Associação de Província Japonesa no Brasil se organiza para mostrar um pouco mais da sua cultura, com pelo menos uma de suas especialidades gastronômicas. A kyoudo ryouri, ou cozinha regional, é um elemento marcante na cultura japonesa, por isso, os organizadores do Festival incentivam os participantes a apresentar pratos diversificados.

Mais do que vender yakisobas e tempurás, a ideia é atrair a curiosidade para as peculiaridades das regiões do Japão. De norte a sul, as iguarias variam de acordo com a história e com os produtos típicos de casa província.

Alguns dos pratos servidos no Festival precisam ser feitos com ingredientes importados e outros guardam segredos que são conhecidos apenas por aqueles que frequentam a associação, por isso, são quase que exclusividades desse festival. Então, aproveite para conhecer essas iguarias.

Acompanhe as novidades pelo Instagram da @hashitag.

 

1. AICHI – Tenmusu

    O Tenmusu é uma das especialidades de Aichi. São bolinhos de arroz, envolvidos por alga nori e recheados com camarão empanado. Na realidade, o tenmusu surgiu na província vizinha, Mie, mas logo se tornou popular em Nagoya, capital de Aichi.

Outros: onigiri (bolinho de arroz), tempurá de camarão, anmitsu (frutas com gelatina kanten)

2. AKITA – Kiritanpo

    O Kiritanpo é uma comida típica da província de Akita. Ele é feito com arroz cozido, depois amassado até que fique uma massa glutinosa para ser colocado em um espeto de cedro e, depois, assado (geralmente em grelha aberta ou próximo à brasa de carvão). Pode ser servido com missô (pasta de soja fermentada) ou em sopa (kiritanpo nabe). Ele foi criado para ser uma comida transportável, pelos lenhadores e caçadores que trabalhavam nas montanhas.

Outros: tori kushikatsu (espetinho de frango com tempero de missô), sakê, suco, onigiri

3. AOMORI – Maçã, ringo juice (suco de maçã), produtos de maçã

    Aomori é conhecida como pólo de produção de maçãs do Japão. Por estar localizada ao norte do país, é uma região fria e propícia para a produção da fruta. As frutas selecionadas de alto padrão são chamadas de ‘obokoi’, que significa adorável.

Outros: nori futomaki (sushi) e inarizushi (sushi com ague – queijo de soja frito), missô (japonês)

4. CHIBA – sashimi

    A província de Chiba é cercada pelo mar em três direções. São 530 Km de costa o que torna a região rica em variedade de peixes e frutos do mar. Pargo, bonito, lagosta, ostra, sardinha são algumas das espécies que enriquecem os cardápios da província. No estande de Chiba, eles servem o tradicional peixe cru, chamado de Sashimi.

Outros: yakisoba, gyoza, sushi, hot roll (sushi frito), temaki, harumaki (rolinho primavera) e robata yaki (espetinho)

5. EHIME – Taruto
(sexta não abre)

    O Taruto é o doce típico da cidade de Matsuyama, capital de Ehime. É tão simbólico que é um ótimo miyaguegashi (doce dado de presente como souvenir) para quem visita a província. O nome taruto vem de “torta” e é um doce de influência portuguesa, adaptado ao paladar dos japoneses durante o período Edo. Ele é um rocambole feito com massa leve de bolo recheado com anko (pasta de feijão doce).

Outros: gyoza, amazake (bebida doce à base de sakê), yakimeshi, caipirinha de sakê

6. FUKUI – Etizen Oroshi Soba
(sexta não abre)

    O Echizen oroshi soba é feito com macarrão de trigo de sarraceno, servido com um caldo frio feito à base de shoyu e diversos complementos: hanakatsuo (lascas de peixe Bonito seco), cebolinha, alga nori, nabo Itagaki (tem sabor ardido e é típico da região de Fukui) ralado.

Outros: teppan (grelhado), yakisoba, tempurá

7. FUKUOKA – Chidori manju
(sexta não abre)

    O Chidori manju é um bolinho doce recheado com pasta de feijão branco. A massa do bolo é semelhante ao pão-de-ló (feito com adição de glucose) e é assado. O doce foi criado em 1927 por um confeiteiro da loja Chidoriyae e leva uma marca de ferro na superfície do bolo, com os contornos do pássaro chidori (da mesma família do quero-quero).

Outros: yaki sanma (peixe Cavala grelhado)

8. FUKUSHIMA – Kitakata lámen

    O Kitakata lámen é uma sopa feita com um macarrão mais grosso e ondulado. O caldo feito à base de molho shoyu e carne de porco completa o prato que leva o nome de uma cidade localizada no lado leste da província. Kitakata tem uma das maiores proporções de casas especializadas em lámen per capita do Japão.

Outros: churrasquinho, onigiri (bolinho de arroz)

9. GIFU – Chikara udon

    O Chikara udon não é especialidade de Gifu, mas no festival é a única barraca que vende a variedade dessa sopa. O nome do prato é “udon que dá força”, que é uma sopa feita com macarrão do tipo udon (é mais grosso e de consistência firme, feito com farinha de trigo).
    O caldo é feito com alga konbu, lascas de peixe bonito e cogumelo shiitake, temperado com shoyu. O chikara udon é incrementado com cebolinha, nabo ralado e mochi (bolinho de arroz glutinoso).

Outros: shimeji com bacon (cogumelo com bacon grelhado) e karê rice (arroz com curry)

GUNMA –
A barraca de Gunma não serve uma espacialidade da província, mas particpa do festivla com o popular tempurá de camarão, chamado de kaki age ebi tempurá.

10. HIROSHIMA – Hiroshimafu Okonomiyaki
(sexta não abre)

    O prato é popular em todo o território japonês, mas o preparo do okonomiyaki de Hiroshima é peculiar à região. O okonomiyaki à moda de Hiroshima é feito com uma massa fina feita de farinha, ovos e água, seguido de uma camada de macarrão para yakisoba, carne de porco repolho e, por fim, um ovo frito. A panqueca em camadas é finalizada com um molho agricoce, maionese, alga aonori e lascas de peixe seco.